sábado, 11 de agosto de 2007

Crise das bolsas de valores assombra o mundo, mas Mantega não vê risco

* Em apenas dois dias, a crise que abala os mercados financeiros de todo o mundo consumiu cerca de US$ 300 bilhões dos principais bancos centrais do planeta - um valor sem precedentes nos últimos seis anos.

Tudo para tentar conter a bolha imobiliária americana e evitar uma onda de quebradeira de bancos e de fundos de investimentos nos Estados Unidos.

Após a injeção de dinheiro dos BCs nos bancos americanos, as bolsas dos EUA e do Brasil reduziram as perdas. Em Nova York, o Dow Jones, que iniciou o dia em forte baixa, fechou em queda de apenas 0,23%.

Em São Paulo, depois de despencar mais de 3%, a Bovespa encerrou em menos de 1,48%. Mas na Ásia e na Europa, os estragos foram imensos.

"A Europa está em polvorosa", afirmou o economista Luís Otávio de Souza Leal, do Banco Central.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, procurou tranqüilizar os investidores, dizendo que o país está preparado para enfrentar turbulências.

A quem tem aplicações na bolsa, analistas de mercado sugerem cautela.

(Correio Brasiliense - Sinopse Radiobrás)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial