sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Planaveg recebe contribuições até domingo

Paulo de Araújo/MMA
Oferta de mudas: incentivo ao replantio
Proposta busca fortalecer políticas públicas que favoreçam o acesso dos proprietários de terras a sementes e mudas de qualidade e com baixo custo, entre outras finalidades.
Por: Luciene de Assis - Editor: Marco Moreira
A proposta de Plano Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa (Planaveg), elaborada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), receberá contribuições até o próximo domingo (09/08). A área técnica do MMA recebeu até a última sexta-feira (07/08) 135 e-mails com sugestões e comentários. Participe escrevendo para planaveg@mma.gov.br

O objetivo do Planaveg é ampliar e fortalecer as políticas públicas, incentivos financeiros, mercados, boas práticas agropecuárias e outras medidas necessárias à recuperação da vegetação nativa de, pelo menos, 12,5 milhões de hectares, nos próximos 20 anos, principalmente em Áreas de Proteção Permanente e Reserva Legal, mas também em áreas degradadas com baixa produtividade.

CENTROS URBANOS
Das propostas recebidas durante o processo de consulta pública, iniciado em 23 de dezembro do ano passado, destacam-se as que visam incentivar a recuperação da vegetação nativa em centros urbanos; estimular o uso de sistemas agroflorestais como forma de recuperação de áreas e geração de renda aos produtores rurais; e promover a recuperação de áreas degradadas em Unidades de Conservação e terras indígenas, entre tantas outras.

De acordo com o diretor do Departamento de Conservação da Biodiversidade (DCBio/MMA), Carlos Alberto Scaramuzza, a análise preliminar das contribuições já recebidas indica a existência de pontos de aperfeiçoamento dos elementos de uma política e seu correspondente plano nacional para a recuperação da vegetação nativa em larga escala. “Trata-se de um aspecto relevante para o processo de implantação da Lei nº 12.651/2012”, reforça.

FINANCIAMENTO
O diretor do DCBio lembra que o Planaveg busca fortalecer políticas públicas que favoreçam o acesso dos proprietários de terras a sementes e mudas de qualidade e com baixo custo, a recursos para financiar o plantio de mudas, instalação de cercas e demais insumos necessários, e a assistência técnica para o desenvolvimento e implantação dos projetos de recuperação. Visa, também, ampliar e fortalecer as políticas públicas que promovam mercados relativos à venda de bens e serviços gerados pelas áreas recuperadas.

A proposta do Planaveg é resultado de parceria do MMA com o World Resources Institute (WRI), União Internacional para a Conservação da Natureza, União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS), Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ, sigla em alemão) e Universidade de São Paulo (USP).
Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA): 2028-1165

Links:
Conheça a versão preliminar do Plano Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa

sábado, 13 de junho de 2015


Jardim Botânico do Rio festeja 207 anos

  •   
Divulgação/JBR
Dois séculos de história
Órgão federal vinculado ao MMA é um importante centro de pesquisa mundial em botânica e conservação da biodiversidade. Para celebrar data de aniversário, neste sábado (13/06), instituição faz intensa programação
Por Letícia Verdi* - Edição: Sérgio Maggio
Neste sábado (13/06), o Jardim Botânico do Rio de Janeiro completa 207 anos de existência. Hoje, o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro – nome que recebeu em 1995, é um órgão federal vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) e constitui-se como um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais nas áreas de botânica e conservação da biodiversidade.
O Jardim foi criado no ano de 1808 pelo príncipe regente português Dom João para instalar no local uma fábrica de pólvora e um jardim para aclimatação de espécies vegetais originárias de outras partes do mundo. O primeiro desafio foi aclimatar especiarias do Oriente: chá preto, baunilha, canela, pimenta e outras. O Jardim Botânico conferia à Corte ares de ‘civilidade’ e ajudava a propagar a beleza e a exuberância da natureza brasileira, junto aos estrangeiros que aportavam na cidade.
A data será comemorada com intensa programação cultural, científica e histórica, como a inauguração de canteiros de Cactário e a exposição de obras restauradas do Mestre Valentim. Para quem estiver no Rio, o final de semana será intenso, com direito a bolo de aniversário e parabéns.
DESTAQUES DA FESTA:
√ Atração: Cactário
Atividade: Inauguração de novos canteiros do Cactário. A área, que contava com 2 mil m2, dobrou de tamanho. Os visitantes conhecerão cactos e suculentas das mais variadas formas, dimensões e cores, de diferentes regiões e países, algumas ameaçadas de extinção.
Quando: Dia 13/06, às 10h.
√ Atração: Ateliê de Restauração Mestre Valentim
Atividade: Os visitantes podem conhecer de perto o processo de restauração de quatro esculturas do artista colonial Mestre Valentim – Eco, Narciso e duas Aves Pernaltas – datadas de 1785. As obras integram o acervo da instituição desde o início do século XX.  A restauração dessas obras, de grande valor cultural, está alinhada a um projeto de valorização do patrimônio do Jardim Botânico e às comemorações dos 450 anos do Rio de Janeiro.
Quando: Dia 13/06, às 11h.
√ Atração: Trilha histórica com personagens de época
O quê: Atores caracterizados como D. João, fundador do Jardim Botânico, e sua mulher, Carlota Joaquina, serão guias de um passeio pelos pontos históricos mais importantes do Jardim, entre eles as ruínas da antiga Fábrica de Pólvora e o Sítio Arqueológico Casa dos Pilões.
Quando: Dias 13 e 14/06, às 9h, às 15h e às 16h.
√ Atração: Parabéns para o Jardim
Atividade: Os personagens de D. João e Carlota Joaquina também vão puxar o coro de parabéns pelos 207 anos do Jardim Botânico, com direito a bolo, no Parque Infantil.
Quando: Dia 13/06, às 12h30.
√ Atração: Lançamento do DVD Montanhas da Amazônia
Atividade: Lançamento do DVD sobre a aventura e o desafio das expedições de uma equipe de pesquisadores do Jardim Botânico a alguns dos locais mais remotos do Brasil: as montanhas amazônicas, registradas em um documentário com fotografia e direção de Ricardo Azoury. No evento, haverá a distribuição de 100 DVDs ao público, que poderá conversar com os pesquisadores após a exibição do filme.
Quando: Dia 13/06, às 17h, no Museu do Meio Ambiente.
√ Atração: Visita guiada ao Solar da Imperatriz
Atividade: O público poderá visitar a construção colonial e seus jardins internos projetados por Burle Marx. A arquiteta Dalila Tiago contará curiosidades sobre a história do Solar e mostrará alguns aspectos da reforma do prédio onde hoje funciona a Escola Nacional de Botânica Tropical.
Quando: Dia 13/06, das 14h às 16h.
√ Atração: Conheça a flora do Jardim em visitas guiadas por pesquisadores
Atividade: Uma oportunidade para conhecer a trilha de duas famílias de plantas nativas dos trópicos, as mais cultivadas no Brasil pela atratividade de suas flores - Araceae e Heliconiaceae.
Quando: Dia 13/06, às 14h.
*Com informações da Ascom do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA) (61) 2028.1227.

Links:
Conheça as trilhas do Jardim Botânico do Rio


Documentos:
 Confira a programação completa

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial